O Equilíbrio Ecológico

Às vezes é necessário ser apenas um expectador, você consegue?


Hoje resolvi escrever sobre equilíbrio ecológico devido às inúmeras mensagens que recebi após postar um vídeo de uma serpente comendo uma rã, a maioria das pessoas estavam sensíveis pela morte da rã e pouquíssimos interessados pela serpente. Lembrei que antigamente eu não conseguiria assistir um vídeo desses, imagine filmar e contemplar o momento naturalmente?!



Atualmente, interpreto que a cadeia alimentar é apenas uma troca energética, sempre haverá a morte de alguma espécie para a sobrevivência do outro ser. Na natureza, se existem condições ideais as espécies irão reproduzir. Isso pode acarretar um crescimento exponencial se não houver um predador para controlar essa taxa de crescimento. Tome como exemplo o “novo coronavírus”, há hospedeiro de sobra para ele conquistar o mundo e não existe um predador natural para ele, porque ele deixaria de reproduzir?


Enfim, vamos às etimologias, equilíbrio deriva do latim “aequilibrium” (aequus significa igual e libra, balança), já o adjetivo ecológico, deriva de ecologia, do grego oikos (casa ou lar) e logia (estudo, ciência). Então, podemos inferir que Equilíbrio Ecológico é o estudo da igualdade ambiental. Perante essa análise, terei que expor outro conceito, Densidade Populacional, que é a quantidade de indivíduos de uma espécie que se relacionam em determinada área. Segundo pesquisadores, qualquer população tem potencial para crescer exponencialmente, mas a natureza tem seus planos, independente das nossas interpretações humanas, as relações entre diferentes espécies são dinâmicas, sempre ocorreram e continuarão acontecendo.



Foto: Rita Sousa, 2019.

Pense nos inúmeros carrapatos sugando um boi ou “atacando” uma boiada, sem dúvidas o fazendeiro enxerga o carrapato como uma “praga” que leva doenças ao rebanho e causa prejuízo financeiro. Entretanto, os carrapatos são fonte de alimento para aves, como o carrapateiro (Milvago chimachima) e a garça-vaqueira (Bubulcus ibis), que devem ficar bem satisfeitas ao encontrar a abundância alimentar entre o gado, que por sua vez, não faz o menor esforço para espantar as aves, essas relações são benéficas as ave, aos bois e aos fazendeiros, menos para os carrapatos, correto?


Já na situação da serpente com a rã, confesso que o primeiro sentimento que brotou foi de dó para com a rãzinha, mas entendo que todos nós precisamos nos alimentar, assim, optei por apenas assistir aquele momento raro e controlar minhas emoções, com respeito pela rã e pela serpente, pois há uma harmonia natural que estamos longe ainda de compreender.

0 visualização

Todos os direitos reservados © 2019 por Rota das Araucárias

  • Envie um Direct
  • Avaliações
  • Acompanhe