A importância hidrológica das Florestas com Araucárias

Iniciei as pesquisas na Serra da Mantiqueira na grande área da Conservação da Natureza, com Hidrologia Florestal.

Serra da Mantiqueira. Foto: Rita de Cássia Sousa



O primeiro contato com o tema foi em 2008 durante uma das iniciações científicas que realizei no Instituto Florestal do Estado de São Paulo, foi um privilégio ser orientada por Maurício Ranzini, Francisco Carlos Soriano Arcova, Valdir de Cicco e Carla Daniela Câmara. A pesquisa foi realizada em plantio com Araucaria angustifolia no Parque Estadual da Serra do Mar, núcleo Cunha (veja parte do estudo aqui).


Durante a "defesa" desse estágio, uma das avaliadoras do CNPq questionou se o estudo era especulativo ou se existia aplicabilidade, algo que você deve estar na dúvida também. Então, melhor eu explicar:


"Quando chove, parte da água fica retida nas copas das árvores e retornam a atmosfera, esse processo é denominado de interceptação, é uma fração da chuva que não chega ao solo e os percentuais descritos são bem variáveis de 4 a 54%.

Dessa forma, se existe uma área onde requer o controle de enchentes, melhor utilizar as espécies vegetais (nativas) que conseguem reter maiores porcentagens da chuva, mas se desejar elevar a produção hidrológica de determinada bacia, melhor utilizar as espécies que retem menores proporções da precipitação.

Claro que são muitas variáveis relacionadas, como a intensidade e duração das chuvas, período amostral, estrutura florestal, umidade do ar, radiação, enfim, são diversos fatores que interferem de forma direta e/ou indireta a repartição das chuvas, e que normalmente são apresentados nos estudos".


Esse foi o início do meu encantamento pela hidrologia florestal, já a Serra da Mantiqueira é um tantinho mais antiga no meu coração...


Quando criança vivia entre a capital paulista e o município mineiro de Gonçalves, vi as transformações das paisagens e o desrespeito ambiental na região, o que motivou minha decisão em ficar no Brasil (pois é, estava com as malas prontas para viver na Austrália) e dedicar esforços para a Conservação da Natureza.


Visitei diversas florestas com araucárias na Serra da Mantiqueira, escrevi o projeto de mestrado, fui aceita pelo orientador Nivaldo Eduardo Rizzi e no ano de 2013 fui aprovada na UFPR, o que acarretou minha mudança para a cidade de Curitiba (PR). Neste período, cursei todas disciplinas que poderiam auxiliar o desenvolvimento da pesquisa (foto).


No mês de agosto de 2013 mudei para Santo Antônio do Pinhal (SP), mas foi somente em dezembro que conseguimos todas as autorizações e equipamentos para instalação do experimento no Parque Estadual de Campos do Jordão. Assim, quantificamos os dados durante o ano hidrológico de 2014... lembra da maior seca que atingiu o sudeste brasileiro nos últimos 30 anos? Pois é, isso tudo foi amostrado.


Ahhhh, você lembra também que a intensidade e frequência das precipitações influenciam os resultados na redistribuição das chuvas (como mencionei acima). Então, devido o ano hidrológico totalmente atípico, solicitei prorrogação da pesquisa durante a "Defesa de Estado de Arte". Claro que foi negada, justamente pelas demandas do Programa de Pós-Graduação em Conservação da Natureza.


Mesmo com tantos obstáculos, verificamos que as Florestas com Araucárias são aliadas da "produção" hidrológica!


Caso tenha interesse em ler o trabalho completo, disponibilizo o link aqui



#CamposDoJordão #Araucária #Hidrologia #Conservação


15 visualizações

Todos os direitos reservados © 2020 por Rota das Araucárias

  • Envie um Direct
  • Avaliações